Quem você quer agradar? Você ou os outros?



Existe uma velha máxima que diz mais ou menos isso: Se você quiser agradar uma pessoa, saiba que irá desagradar outras tantas.

Querer agradar aos outros quando não se trata de uma forma de gentileza, vira um péssimo costume. Geralmente isso acaba desvalorizando quem somos para valorizar os outros. 
Temos que nos agradar primeiramente. 

Eu já fiz muita coisa para agradar a outrém, e me desagradei por demais e quem já não fez algo parecido na vida? Garanto que ninguém colheu algo bom que valesse o esforço. 
Começa pelas opiniões, quando você se cala de emitir sua opinião apenas para que não desagrade o outro você está desvalorizando sua capacidade de argumentar. Sou avessa no atual presente de ficar gladiando com pessoas, mas quando solicitada eu falo minha opinião, independente se a outra pessoa vai achar bom ou ruim, e friso bem quando solicitada. 

Acho descortês opiniões sobre assuntos pessoais e íntimos quando não convidadas a emitir parecer, vejo como uma  intromissão na vida da pessoa, para não se dizer que em alguns casos beira a grosseria, na minha pequena família eu e minha irmã nunca opinamos na vida de uma ou outra quando não convidada, mesmo que estivessemos em algum caminho ou decisão duvidosa, por isso vivemos fraternalmente em harmonia.
E quando consultadas sempre demos nossas opiniões com educação, e pensamos totalmente diferente uma da outra, mas jamais tivemos rusgas por conta disso, porque sabemos respeitar o limite, crença e a vida alheia de cada uma de nós.

Recentemente eu desfiz uma amizade pessoal que demorei tempo para tomar uma decisão por conta disso. A pessoa em questão sempre opinava sobre tudo e todos sem ser convidada, arranjando confusões, desiquilibrando harmonias, e sempre de forma grosseira e nada respeitável. Enfim, eu me cansei da presença conflitante e simplesmente cortei laços aos poucos... até que nem falo mais. Geralmente ajo dessa forma, paro de conversar, falar, telefonar. Me sinto aliviada hoje. E o melhor sem dormir com os problemas dela comigo.

Vejo que são pessoas inseguras, essas que querem ser agradadas de toda forma e circunstâncias, fazendo verdadeiras guerrilhas pessoais contra tudo e todos na vida social, na profissional na familiar, e muitas vezes por insegurança também acabamos tomando partido. 

Nunca esqueço uma vez que elogiei uma pessoa da família de uma conhecida, pois eu achava ela sempre tão educada e uma artista nata em painéis maravilhosos, para surpresa minha a parente ficou totalmente irritada, dizendo que eu não sabia quem era a fulana e tal, que tinha feito isso e aquilo pra ela.
Enfim para ela. 
Não para mim. Mas ela queria que eu não conversasse mais com a pessoa apenas para agradar a ela , como menininhas de terceira série.

Achei o cúmulo. 

Vi que era insegurança dela porque achava que eu iria gostar mais da outra que em algum momento da vida fez algo que a magoou, e no caso eu era a amizade pessoal dela, e não poderia nunca me aproximar de sua desafeta. 
Não gosto disso.
Enfim temos amizade até hoje, mas não tanto contato, recentemente se separou... meses depois me telefonou comentando sobre isso e nas entrelinhas como um aviso que seu ex marido fosse jogado ao esquecimento por nós,  já que não era mais marido dela, rs.

Incrível a capacidade dela até hoje de querer manipular de quem podemos nos aproximar. Tem muita gente assim se achando a rainha, o rei  dos mandos e desmandos alheios.

Finalizando devemos procurar sempre nos contentar e nos agradar primeiramente, para depois agradar os outros, é um exercício que ando gostando de praticar.

16 comentários:

  1. Você me fez lembrar a famosa frase "ouça a voz do coração", o resto vira como uma consequência inevitável...

    Quando vc muda em função do outro, no final vc acaba se cobrando e cobrando do outro também, é um efeito dominó negativo...

    Ju, uma semana com boas energias p/ vc!

    Beijooooooo

    ResponderExcluir
  2. Ju
    Parece que você escreveu para mim. Precisava muito "ouvir" isso,pois tenho passado por situações desagradáveis que me fizeram concluir que preciso aprender a dizer "não",a impor limites e me impor mais.Porém fico me sentindo culpada,meio monstra,egoísta... Tem sido conflitante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. O melhor de tudo é ser sincera com nossos sentimentos e não com a opinião dos outros sobre algo ou alguém e ainda assim quando nossa sinceridade não pode ser compreendida o sil~encio é nossa melhor opção!!!
    Concordo com vc,pois devemos sempre agradar a nós mesma,pois agradar aos outros tem que ser consequencia de nossa satisfação pessoal!!!
    Bjus querida e uma excelente semana

    ResponderExcluir
  4. Penso assim também, com a diferença de que, quando não consigo simpesmente me afastar, surto e rompo a amizade oficialmente. Não gosto de fazer isso, mas tem gente que não aceita afastamento, sabe? E eu não aceito uma convivência que me faça mal.

    Também acho que quem pergunta, quer saber. Não falo o que querem ouvir e sim o que eu penso. Se não quer saber o que penso, não me pergunte. Simples assim. Não ache que vou garantir que seu namorado não te trai só porque você quer ouvir isso. Não sei dizer o que querem que eu diga. Evito ao máximo não me meter, mas se me procuram, aí não minto, não...

    E também não gosto que se metam na minha vida sem que eu pergunte...

    Um beijo!
    Bia

    ResponderExcluir
  5. Putz! Esse ERA o meu roteiro de vida: nunca dizer não, agradar a quem quer que fosse, MENOS a mim. Uma merda amiga! Vivia com sapos cabeludos na garganta. Hoje não mais. Sofro também com isso porque a maioria das pessoas não entende quando não puxamos o saco de fulano ou ciclano ou quando dizemos NÃO para algum pedido. Enfim, melhorei assim! rs

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente aprendi isso a duras penas, não só com amizades como dentro de casa. Até meu casamento ficou balançado na época por querer agradar a tudo e a todos e me sentir desconfortável por não ser eu mesma.
    Parei! Aprendi e hoje sou exatamente assim. Pediu opinião, então vai escutar o que eu penso e não o que gostaria de ouvir.
    Ótimo texto, como sempre:)
    Um beijo amore

    ResponderExcluir
  7. Afff Ju, eu já fui muito de deixar de fazer coisas, demonstrar sentimentos e etc... com medo que alguém se magoasse, me interpretasse errado. E o que eu ganhei? Nada... Na minha vez, ninguém teve a mesma condolência e consideração, a postura assumida foi bem diversa disso. Hoje eu me sinto mais liberta, eu dou menos satisfações de tudo e faço aquilo que sinto ser bom prá mim. Relacionamentos são muito relativos e subjetivos, eu posso adorar você e uma terceira pessoa, e essa terceira pessoa ser um desafeto teu. Desde que respeitados os devidos limites a convivência é possível sim, mas prá isso é preciso saber respeitar, mas também ser RESPEITADO. E o único motivo que é capaz de me fazer realmente romper um laço de amizade é se eu me sentir ferida nesse quesito respeito. Acho que ninguém é obrigado a conviver com ninguém, se há convivência, tem que ser prazerosa, gentil, respeitosa, é o mínimo... afeto é outra coisa, e a uns cabe e a outros não. Não tomo dores de ninguém e não quero ninguém tomando as minhas, sou adulta e sei me defender, da mesma forma que não acho certo a condução que vejo em certas situações, como você mesma disse, gente que se acha no direito de mandar e desmandar, "reinando" na vida alheia, disso tenho pânico, me encha o saco e mostro as garras e presas, simples assim, no mais... sou um doce... kkkkkkkkkkkkkkk.
    Hoje esta blogosfera tá que tá, só posts comportamentais e reflexivos ;o)

    Beijos querida e boa semana ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju saudades, acho que essas coisas nunca aconteceu comigo pelo menos nunca percebi, as vezes acho que a gente tem q dar uma de desentendida minha amiga, tipo acho que não entendi, kkk infelizmente é mais facil cuidar da vida dos outros, não é desperdicio de tempo ? não concordo com a frase : falem mal mas falem de mim pode funcionar para os artistas que precisam de midia mesmo assim... as vida é tão simples nós é que complicamos, beijos meu amor boa semana

    ResponderExcluir
  9. Ju,
    ainda estou tentando aprender a me agradar primeiro. Antes só queria agradar ao outro e me esquecia e sofria muito. Mas isso não quer dizer que hj não sofra por me agradar primeiro, mas bem menos que antes. Já desfiz algumas "amizades" que só queriam meu sim, minha anuência. Quando não tiveram mais sumiram. E eu adorei. Eram as mesmas que sugavam minha energia positiva, que me deixavam para baixo, que tudo que eu fazia ou dizia não prestava. Aprendi a me valorizar. Mas ainda estou no caminho e por incrivel que pareça vocês minhas amigas virtuais estão me ajudando a enxergar e a mudar. Com dicas, com posts como esse, com palavras que para vcs não quer dizer nada mas que para mim tem um significado enorme. Obrigada, amiga!
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  10. Jú...quando era mais nova, fazia as coisas para agradar as pessoas e tentar manter a harmonia, mas eu me desagradava e me sentia pior...hoje, não dou a mínima para o que os outros pensam, pois ninguém paga as minhas contas, faço o que quero e quando quero, além disso descarto pessoas vampiras, que só sugam...

    Bjão

    ResponderExcluir
  11. Oi Ju,

    Desde menino eu fui uma pessoa de opinião própria e sempre me metia em polemicas. Discutia meus pontos de vista até a ultima instancia, e assim o faço até hoje.
    Porem, sempre tomei o cuidado de não levar as coisas para o lado pessoal, mantendo a educação e os limites. Nunca me meti na vida pessoal de ninguém, a não ser quando chamado. Nunca admiti que viessem me fazer fofocas ou falar mal de um amigo.
    Detesto intrigas. Se você não gosta de uma pessoa, o problema é seu. Não o transfira para mim. Sempre soube que todos nos temos defeitos. Ninguém é perfeito. O cara pode ser um marginal, mas se sempre manteve para comigo uma conduta ilibada, se nunca observei nele o intuito de prejudicar ninguém, não adianta virem falar mal dele pra mim. Continuo tendo a mesma relação que tinha antes. Da mesma forma, se observo uma pessoa sendo indelicada com outra, sendo cafajeste com outra, eu automaticamente me afasto dessa pessoa. Cada um é o que é, ninguém tem personalidade dupla (a não ser por doença) para se portar de uma forma com um e de outra forma com outro. Me desiludi muito mais com amigos e parentes próximos, isto é, aqueles com os quais a gente se relaciona desarmados, sem barreiras, do que com muitas outras pessoas com quem as vezes convivo, tachadas de “personas non gratas”. Agradar a quem não me é agradável, nunca! Pessoas que não me dizem nada, eu simplesmente ignoro. A vida é muito curta pra gente perder tempo em ser agradável com quem não merece. O esforço é muito grande e nos desgasta muito, nos suga. Se para agradar os outros é necessário que desagrademos a nós próprios, sejamos então desagradáveis. Pelo menos viveremos mais leves e felizes, carregando nossos próprios pesos.
    Gostei do post, é bom falar sobre isso de vez em quando.....rs

    bjo

    ResponderExcluir
  12. Muito bom seu post! Extremamente sensatas suas opiniões a respeito!

    Não gosto de gente ditando o que devo e o que não devo fazer, exatamente porque procuro não fazer isso com ninguém.

    Expresso sempre minha opinião quando necessário, quando solicitada.

    Acho horrível gente que fica em cima do muro sempre sem se posicionar e odeio os que vão para o polo oposto, que é o tipo "digo mesmo a verdade doa a quem doer".

    Beijocas

    ResponderExcluir
  13. Ju, sempre que vejo seus posts fico empolgada em mudar algumas coisas da minha vida.. Porém a realidade é um pouco diferente..
    Ando tendo que engolor alguns grandes sapos e fazer coisas que não me agradam... tudo pensando em um futuro profissional melhor.
    Ai me pergunto: até quando temos que plantar agora (msm coisas que não nos fazem bem) para colher coisas boas no futuro?? Pq sei que minhas atitudes hj, de aceitar coisas que hj não e fazem bem, serão os bons frutos de amanhã...
    Enfim... rs...
    Sobre essas suas "amigas" tem uma frase bem lega! Não tiro as pessoas da minha vida, apenas inverto a ordem e mudo-as de posição".. rs..
    Chega de filosofar..
    bjinho

    ResponderExcluir
  14. Já é comprovado que tentar agradar sempre pode esconder problemas de auto estima, veja:
    http://estilo.uol.com.br/comportamento/ultimas-noticias/2011/04/02/ser-bonzinho-demais-pode-ser-artificio-para-nao-enfrentar-problemas.htm

    Por isso seu post é bem informativo, nao vi nem como uma crítica, mas de utilidade auahauah

    Beijosssss

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito do seu post,pois vc colocou de uma forma q às vezes não percebemos q todos os envolvidos são prejudicados e principalmente nós q achamos q com a nossa atitude estamos amenizando uma situação mas, q com o tempo vai crescendo e tomando gigantes proporções,da qual não sabemos o q fazer.Estou passando por isso e sempre tento fazer o melhor,mas acho q estou no caminho errado,porque sempre caio no mesmo dilema...

    Passei para conhecer seu cantinho e já estou por aqui,venha conhecer o meu e se gostar fique...Bjs!!!

    universofeminino-edna.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Me ensina a praticar isso, eu muitas vezes deixo de ser eu par agradar os outros e até hj sofro com isso. Preciso aprender a dizer não e fazer aquilo que me agrada realmente. Não gosto de ser indelizada, me faço de surda para não magoar quem me magoou, e se eu destratar alguém que embora mereça, fico mal com isso. Agora vou dormir querida, vou deixar para passear por aqui amanhã, gostei muito. Aff, comentei um montão. Beijos e boa noite! Um ótimo domingo, e uma doce semana.

    ResponderExcluir

Olá! Tudo bem?
Obrigada pela sua visita e comentário! Fico muito contente!
Gostou do post? Espalhe por ai!